Tecido chitão

O tecido chitão é um dos mais utilizados e procurados no mercado têxtil, e é fácil encontrarmos produções que o tenham como protagonista. Isso se deve, provavelmente, ao seu preço, que normalmente é muito barato.

Além disso, esse tecido é conhecido por suas cores muito fortes e tramas simples, o que para muitos o torna um material que não tem grande qualidade para acrescentar às fabricações variadas.

Ainda assim, o tecido chitão é muito buscado por quem tem interesse em criar peças para uso próprio, ou para quem deseja desenvolver peças para seus clientes. Quer saber mais sobre? Então confira a seguir o que nós temos a te contar!

Características básicas do tecido chitão

O tecido chitão é feito de algodão, mas esse algodão é bem barato e conhecido por sua baixa qualidade. Ele tende a ter cores muito intensas e estampas florais. Suas tramas de maneira geral são bastante simples e básicas.

Para que o chitão tenha estampas ela deve ser feita sobre outro tecido, conhecido como morim. Do contrário, não podemos chamar de chita, porque não é estampado sobre um material básico desse tipo de estamparia.

Entre as características principais do chitão nós temos as cores primárias e secundárias, deixadas em massas que são posteriorente chapadas, afim de cobrir totalmente a trama.

Além disso, os desenhos desses padrões de estampas são delineados com grafite, e é normal que a prevalência seja de uma única cor, ou seja, as estamparias com o tecido chitão costumam não ter tantos tons.

De onde vem o nome chita, originário de chitão?

O nome chita, de onde vem o nome chitão vem da palavra chintz, que está escrita em sânscrito. Essa palavra surgiu na Índia da Idade Média e acabou conquistando os Europeus, para futuramente se destacar no Brasil.

O que se sabe sobre o chintz?

O chintz é o tecido que deu origem ao tecido chitão. Ele foi produzido pela primeira vez na Índia entre os anos de 1600 e 1800, e se tornou muito popular na fabricação de roupas de cama, além de ser bastante utilizado também na produção de patchwork.

Aos poucos os mercadores e os navegantes portugueses e holandeses começaram a levar o chintz para toda a Europa, mas as peças eram muito caras e raras, ao contrário do que vemos hoje.

As razões para o alto preço são basicamente o fato de que o chintz não era produzido no continente europeu, e as tecelagens da região só conseguiam desenvolver imitações das peças. Com isso, as colônias européias passaram a dar conta dessa demanda, e no caso de Portugal o principal responsável foi o Brasil!

Como é a história da chita no Brasil?

Quem trouxe o tecido chitão para o Brasil foram os europeus, a partir do século de 1800. Aos poucos as tecelagens brasileiras foram promovendo diversas melhorias no material, até que aos poucos ele alcançasse os níveis que apresenta hoje.

Aos poucos a produção nacional da chita se tornou tão intensa que não demorou para que ela se mostrasse mais barata que a européia, e com isso os fabricantes daqui foram transformando essa matéria prima em uma das mais identitárias do nosso país.

Não demorou para que ela fosse parte da produção de diversos artistas plásticos, designers e estilistas, tanto por seu preço quanto pela sua essência, cada vez mais brasileira!

Como você pode ver o tecido chitão tem muitas razões para ser tão querido pelos artistas de diversas ordens! Se você tem interesse em consumí-lo pelo melhor preço não se demore e clique aqui! A loja Avimor vai estar te esperando de braços abertos!

Sobre Kyx Mf

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *